Durante o mês de Julho, terão lugar, na sede do Centro Lusitano de Unificação Cultural, três conferências, todas elas às quintas-feiras, entre as 19h e as 20h30m:

12 de Julho: Manas Taijasi – A Dimensão Oculta da Mente, por Nuno Ferreira Gonçalves

19 de Julho: A Natureza de Buda, por Paulo Borges

26 de Julho: Estados Alterados de Consciência, por José Manuel Marques

A entrada é livre mas contribuições voluntárias de 3€ serão bem-vindas.

Agradecemos reconhecidamente aos conferencistas, acerca dos quais, em seguida, deixamos algumas notas:

Nuno Ferreira Gonçalves - Músico profissional e docente na área do ensino musical. Iniciou os seus estudos esotéricos em 1998 na Comunidade Teúrgica Portuguesa. Com livros editados e dezenas de palestras públicas realizadas, colabora regularmente com o Jornal de Sintra em rúbrica intitulada “Sintra Esotérica”. Em 2010 fundou a Manas Taijasi – Associação Cultural Espiritualista, de que é Presidente.

Paulo Borges - Professor de Filosofia na Universidade de Lisboa. Cofundador e presidente do Círculo do Entre-Ser. Ex-Presidente da União Budista Portuguesa. Doutor “honoris causa” pela Universidade Tibiscus de Timisoara (Roménia). Autor e organizador de 50 livros. Mais recentes: “Do Vazio ao Cais Absoluto ou Fernando Pessoa entre Oriente e Ocidente” (2017), “Meditação, a Liberdade Silenciosa. Da mindfulness ao despertar da consciência” (2017). “Vazio e Plenitude ou o Mundo às Avessas” (2018).

José Manuel Marques - Licenciado em Filosofia e mestre em História e Cultura das Religiões pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Professor de Filosofia no ensino secundário, exercendo funções de coordenação pedagógica. Entre 1985 e 1995 integrou a Direção de Sociedade Nacional de Belas Artes. Integrou vários mandatos da Direção da Associação de Professores de Filosofia, a cujos corpos sociais continua a pertencer. Autor de cursos de estética e orador em várias conferências no âmbito da filosofia das religiões. É também autor de vários artigos publicados na revista “Cadmo”, da FLUL, e na “Biosofia”, do CLUC.